SindimotoSP realiza em São Paulo dois atos pacíficos a favor dos motociclistas

Data:

SindimotoSP realiza em São Paulo dois atos pacíficos a favor dos motociclistas
Repetidamente as empresas têm tirado os direitos trabalhistas dos motociclistas profissionais, além de perseguir, diminuir e tentar isolar
um movimento legítimo dos trabalhadores pelos direitos conquistados ao longo dos anos. Ambas tem diminuído os valores das corridas, punido os motociclistas que se negam a fazer corridas com valor muito baixo, excluído também trabalhadores do aplicativo sem justificativa, além de disponibilizar jornadas extensivas, entre outras injustiças. 
 
Liderando os motociclistas profissionais e convencionais, o SindimotoSP saiu às ruas para protestar contra as reformas trabalhista e previdenciária que o Governo Federal quer impor ao trabalhador brasileiro. O sindicato é contrário as mudanças porque exclui direitos dos trabalhadores. Além do presidente Gil e o secretário Geral da UGT Canindé Pegado, discursaram os diretores Nego Gerson, Gerson Cunha, Celso Oliveira, Rodrigo Silva, lideranças locais, motofretistas, presidentes de outros sindicatos e delegados sindicais. 
 
NOTA DE ESCLARECIMENTO AOS MOTOCICLISTAS PROFISSIONAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO E A SOCIEDADE SOBRE AS EMPRESAS DE APLICATIVO LOGGI E RAPIDDO
 
A Loggi e a Rapiddo estão prejudicando os trabalhadores motociclistas em seus direitos trabalhistas e não cumprindo com o que prometeram. No começo ofereceram o paraíso e agora reduzem valores das entregas, exigem jornadas longas, perseguem e excluem da plataforma sem explicações os trabalhadores. Elas querem também ditar normas, regras e até proíbem que o trabalhador procure o SindimotoSP para orientação, exercendo assim, práticas anti-sindicais que não serão toleradas pelo sindicato. Esse fato será levado
para a Organização Internacional do Trabalho (OIT) - de regime de escravidão que as empresas de aplicativo de motofrete tem imposto aos motociclistas profissionais.
 
Para se ter uma ideia da gravidade da situação, as empresas de aplicativo já são alvos de questionamentos do Ministério Público do Trabalho (MPT) e Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) devido denúncias dos próprios trabalhadores e do SindimotoSP.

Os motofretistas estão insatisfeitos e estão se organizando para levar adiante grandes manifestações e paralisações na semana que vem com apoio incondicional e irrestrito do SindimotoSP. As empresas tentam desqualificar o sindicato bem como alegam ser minoria
os profissionais que reclamam.

Isso são inverdades. O SindimotoSP é representante legítimo dos motociclistas profissionais, bem como a maioria dos trabalhadores quer respeito, dignidade e o prometido. 

Fonte:  A Voz do Motoboy  




DEIXE SEU COMENTÁRIO: