Russomanno visita sindicato dos motoboys e critica multas

Data:

Russomanno visita sindicato dos motoboys e critica multas

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, visitou nesta segunda-feira (10) o sindicato dos motoboys, onde se comprometeu a implementar mais faixas exclusivas para motos e questionou o volume de multas aplicado pela Prefeitura de São Paulo. A administração municipal rebateu as críticas, em nota enviada ao G1 nesta terça-feira (11).

"Estou fazendo a acusação com base no aumento da arrecadação. É um absurdo que se vá arrecadar quase R$ 1 bilhão com multas na cidade de São Paulo", disse. "É uma indústria de multa. A multa se transformou em arrecadação. Maior absurdo ainda é que isso está tercerizado. Quem está ganhando dinheiro por trás disso?", disse.

Mais tarde, Russomanno e o deputado estadual Campos Machado (PTB) visitaram também o sindicato dos policiais federais, onde o candidato à prefeitura de São Paulo deu apoio as reivindicações da categoria.

Em uma palestra sobre segurança pública, Russomanno se comprometeu a estender a operação delegada que hoje incrementa vencimentos de policiais militares a policiais civis, com objetivo de melhorar o desempenho na apuração de inquéritos. Russomanno também voltou a questionar a terceirização de pessoal na segurança pública.

"No caso da Polícia Civil, eles vão poder trabalhar nos dias em que estariam de folga, recebendo para tocar os inquéritos policiais. Para andar a segurança pública em São Paulo", afirmou.

Prefeitura rebate críticas
Em nota, a Secretaria Municipal de Transportes informou que "o objetivo da modernização do sistema de fiscalização de trânsito não é aumentar o número de multas, mas inibir infrações para evitar acidentes e mortes na cidade", diz o texto.

"As vias em que a padronização de velocidade foi adotada já registraram redução de acidentes. Na Avenida 23 de Maio, por exemplo, houve uma queda de 38% no número de acidentes após a redução da velocidade", justifica a secretaria. Ainda segundo a pasta, todas as vias com fiscalização eletrônica estão devidamente sinalizadas.

A Secretaria de Transportes cita ainda a queda de 40% nas mortes de pedestres dentro da chamada Zona de Máxima Proteção ao Pedestre, na região central e na Avenida Paulista, "reflexo das medidas implantadas pela CET".

A Prefeitura afirma ainda que as empresas responsáveis pela operação dos radares são remuneradas por um valor fixo com base na quantidade de faixas das vias fiscalizadas, e não pelo número de multas aplicadas. "Portanto, elas não recebem mais ou menos com base na quantidade de multas", informa.



Fonte: G1


DEIXE SEU COMENTÁRIO: