Motoboy economiza até R$ 1.670

Data:

Motoboy economiza até R$ 1.670

O governo do estado de São Paulo já emprestou R$ 1,4 milhão para motofretistas em 2013. O resultado, entre janeiro e maio, é 60% maior do que todo o valor emprestado no ano passado. O dinheiro pode ser usado para comprar equipamentos de segurança obrigatórios ou até mesmo adquirir uma motocicleta, desde que seja o modelo cargo.

O maior atrativo é a taxa de juros, de 0,5% ao mês, sem cobrança de abertura de crédito ou IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). Nos bancos comerciais, a menor taxa, para empréstimo pessoal, é de 2,5%. Ou seja, cinco vezes maior. 

“Em um empréstimo de R$ 6 mil em 24 vezes, o motofretista paga R$ 382,08 de juros ao Banco do Povo Paulista. Em uma operação de crédito pessoal, com juros de 2,5%, ele pagaria R$ 2.051,82 só de juros”, disse Antônio Mendonça, diretor do Banco do Povo Paulista.

Com a taxa mais baixa, o motofretista economiza R$ 69,56 em cada uma das parcelas do empréstimo. De acordo com Mendonça, o governo tem mais R$ 7 milhões para emprestar até o final do ano. Se a procura for grande, a carteira pode ser ampliada para R$ 9 milhões.

Curso/ O empréstimo do banco de fomento do governo estadual é exclusivo para motociclistas que concluíram o curso de 30 horas exigido pelo Contran (Conselho Nacional de Trânsito). Também é  possível usar o dinheiro para  fazer consertos na moto. Os motofretistas de São Paulo têm até o mês de outubro para se enquadrar às novas regras. Dos cerca de 500 mil profissionais em atividade no estado, apenas 38,4 mil  fizeram o curso. Há três meses, eram 26,5 mil. 

Segundo o Detran, o curso de motofretista é oferecido na capital por dois CFCs (Centros de Formação de Condutores), três unidades do Sest/Senat e pela Prefeitura. Na Grande São Paulo  e no interior, são 39 CFCs.

Após a liberação do empréstimo, o motofretista tem 30 dias para comprovar a compra do equipamento.



Fonte: Dia a Dia


DEIXE SEU COMENTÁRIO: